Sinopse
A associação “RecifEscola” é uma instituição de sociedade civil sem fins lucrativos, voltada para a melhoria da qualidade de vida da periferia social brasileira. Tem como objetivo a melhoria da qualidade da escola pública.

Responsável
Pablo Stahli
Odilon Mello

Data da fundação
28 de Fevereiro de 2000

Outros parceiros
RecifEscola Suíça
Fundação Banco do Brasil
Prefeituras parceiras : Prefeitura de Igarassu e Prefeitura de Itapissuma.

Contato
Av. Conselheiro Aguiar no. 4880 – Loja 32, Recife, PE, CEP: 51121-020
(81) 3345-4324 / 9954-5952

www.recifescola.ch
odilonmello@hotmail.com
stahlart@usa.net

O PROJETO
Por quê?
Porque é necessário! As crianças de Igarassu e Itapissuma estudam em escolas muito precárias. A infra-estrutura escolar encontra-se muito deteriorada, o que também se pode afirmar a respeito das casas onde as crianças vivem com os pais. Os professores também não recebem uma formação profissional adequada. Além disso, a dieta nutricional das crianças é em parte unilateral, e a assistência médica mostra-se deficiente. Nessas condições, o abuso de drogas, a criminalidade e a prostituição acabam ganhando espaço.

Onde?
Em Igarassu e Itapissuma, duas cidades de pequeno porte nas cercanias de Recife (PE).

Como?
Há dez anos, Pablo Stähli e alguns amigos seus fundaram, na cidade suíça de Zurique, a Associação “RecifEscola”, que passou a angariar fundos para um projeto no Nordeste do Brasil. Seu objetivo principal, até hoje ainda não alcançado, consiste em prestar apoio financeiro a escolas públicas, visando contribuir para uma melhoria substancial da educação formal.
Há seis anos, foi firmado, entre a Prefeitura de Igarassu e a Associação, um convênio através do qual foi estabelecida a construção de uma escola na Rubina (Igarassu). Esse acrodo prevê uma parceira em pé de igualdade, ou seja, para cada franco suíço proveniente da Associação, a Prefeitura também deverá apresentar uma contrapartida no mesmo valor, que pode ser em forma de material, mão-de-obra ou qualquer outra modalidade.
Na Suiça, todos os colaboradores da Associação prestam serviços como voluntários. Ademais, as despesas decorrentes da administração e propaganda ficam a cargo do presidente da Associação. Dessa maneira, as contriguições efetivas dos sócios e as doações são enviadas ao Brasil sem nenhuma dedução.
No Brasil, a Associação assume o pagamento de um diretor e das despesas diárias relativas à parceria no projeto escolar, bem como a remuneração dos empregados cujos salários não estejam previstos no orçamento da Prefeitura (diretoria do laboratório fotográfico, jardins/hortas, biblioteca etc).

O quê?
No ano de 2001, foi-nos doado um grande terreno em Igarassu, onde construímos uma escola atualmente frequentada por cerca de 500 estudantes. Na mesmo escola, são realizados cursos de alfabetização à noite e, durante os fins de semana, cursos voltados para o lazer. Desse modo, a escola transformou-se em um centro comunitário e um verdadeiro ponto de encontro no melhor sentido da palavra. Tudo está funcionando e, por volta do final do ano, poderemos reduzir bastante nossa presença na Rubina, para assim envidarmos esforços em prol de Itapissuma. Nessa cidade, a Associação já possui um terreno e também já celebrou um convênio com a Prefeitura, em que está previsto o mesmo procedimento realizado em Igarassu. Todavia, ao contrário da prática adotada nesse município, nossa intenção, em Itapissuma, é acompanharmos uma parte dos jovens egressos da escola até completarem vinte anos. Queremos assim propiciar-lhes boas condições de alimentação e moradia, e possbilitar-lhes uma formação profissional compatível com seus anseios. Como parte dessa idéia, já contamos com um excelente projeto arquitetônico, mas a fim de realmente concretizá-la, ainda nos falta uma quantia de quase um milhão de reais (aproximadamente 600 mil francos suiços). Tão logo sejam iniciadas as obras de construção, a Prefeitura dos doará um grande terreno contíguo ao nosso, onde deverão ser construídos equipamentos esportivos.

Quando?
Queremos dar início, na maior brevidade possível, a nosso projeto em Itapissuma. Para tanto, dependemos de garantias financeiras da ordem de, no mínimo, meio milhão de reais (aproximadamente 350 mil francos suíços).

Sponsors