Instituto Kinder do Brasil >> Hortas Comunitárias

Sinopse
Implantação de uma horta comunitária na área ociosa de dois Cieps, com a participação dos os alunos nas etapas do projeto: aprendendo a plantar, a cuidar e a colher no final do ciclo.
Paralelo aos plantios, os alunos estudarão os valores nutricionais dos diferentes produtos cultivados nas hortas, o aproveitamento de recursos naturais, ecossistema e o meio rural e urbano, com o objetivo de contribuir para a formação da cidadania, além de dar maior base cultural, científica e tecnológica.
Produção de folhas verdes orgânicas (provenientes da mandioca, batata-doce), ingredientes utilizados na produção da “Multivida plus”.
Produção de humos de minhoca, cujo propósito é melhorar a fertilidade da terra.

Responsável
Patrícia M. Guimarães
Leonel Rocha Lima

Data de Fundação
Outubro de 2002

Outros Parceiros
Este projeto conquistou autonomia e integra as atividades dos CIEP’S 118 e 201.

Contato
Av. Pres. Kennedy, S/N, São Bento, Duque de Caxias, RJ, CEP: 25045-000

(21) 2278-2585 / (21) 9767-5490
pattymg@terra.com.br

O Projeto
O desejo de desenvolver hortas urbanas junto a instituições de ensino, com expansão para as comunidades vizinhas surgiu a partir da preocupação do Instituto Kinder do Brasil e da Fundação Novartis com a fome mundial e o crescente aumento populacional. Coincidência ou não, os Cieps queriam implantar um projeto pedagógico de educação ambiental, com o objetivo de formar cidadãos conscientes, capazes de utilizar os recursos naturais sem agredir o meio ambiente. Então, o Instituto Kinder levou em parceria com os CIEP´s, este projeto à frente.

Os dois Cieps possuem seis mil alunos, nos três turnos de funcionamento. Com isso, o trabalho está sendo realizado indiretamente com os familiares, aumentando este número para aproximadamente 18 mil pessoas.
Notavelmente, tem-se percebido a implantação de novas hortas comunitárias, como o projeto de ecologia urbana, sendo este, um verdadeiro laboratório natural e estrutura de base para fomentar programas de educação ambiental e produção de alimentos em áreas urbanas.
Justificativa do projeto:
Possibilidade de produzir alimentos numa área inutilizada de 1.500 a 2.000 m2, nos dois Cieps.
Sendo uma horta comunitária (trabalho conjunto) os alunos participam de todas as etapas de implantação do projeto, aprendendo a plantar, a cuidar e a colher no final do ciclo.
Paralelo aos plantios, eles estudaram os valores nutricionais dos diferentes produtos cultivados nas hortas, o aproveitamento de recursos naturais, ecossistema e o meio rural e urbano, com o objetivo de contribuir para a formação da cidadania, além de dar maior base cultural, científica e tecnológica.
A horticultura intensiva, em pequenas parcelas, se faz com uso eficiente dos recursos limitados de água e terra.
Os produtos cultivados nas hortas têm um rendimento potencial considerável, permitindo a colheita de até 50 kg de produtos frescos por metro quadrado ao ano. Além disso, devido a seu breve ciclo, dá a possibilidade de responder às necessidades urgentes de alimentos.
A agricultura orgânica engloba todos os sistemas que promovem a produção de alimentos sadios, sob um ponto de vista ambiental, social e econômico. Estes sistemas baseiam-se na fertilidade do solo em nível local, como chave para uma produção de sucesso. Ao respeitar a capacidade natural das plantas, animais e paisagem, visa otimizar a qualidade em todos os aspectos da agricultura e do ambiente. Reduz substancialmente a utilização de fatores de produção externos, através da não utilização de fertilizantes e pesticidas químicos. Em vez disso, permite às poderosas leis da natureza, aumentar os rendimentos agrícolas e a resistência a doenças. O projeto está de acordo com os princípios globalmente aceitos, enquadrados em contextos culturais, geoclimáticos e sócio-econômicos locais.
Como proposta pedagógica, a horta comunitária visa melhorar a qualidade de vida das crianças e adolescentes, por meio de uma alimentação mais natural, isenta de agrotóxicos, que evita agressões, tanto à natureza humana, quanto ambiental.
Possibilita que o aluno aprenda mais sobre reciclagem, separação do lixo orgânico e inorgânico, bem como a sua utilização em compostos destinados a horta e a recuperação do solo.
Possibilita que o aluno conheça a importância do homem do campo, identificando as diferentes ferramentas e maquinários necessários à sua manutenção, além de criar um paralelo entre hortas de pequeno, médio e grande porte e também conhecer o cultivo de diversas hortaliças e sua utilização na culinária.

Objetivos:

  • Produzir alimentos em áreas não utilizadas nos Cieps e comunidades vizinhas;
  • Desenvolver uma maior conscientização quanto ao uso do meio em que vivem, respeitando os recursos naturais;
  • Utilizar os produtos cultivados para a complementação da merenda escolar (anexo 2);
  • Promover o intercâmbio de informação e competências entre alunos, professores e familiares;
  • Incentivar o trabalho em conjunto, visando a integração na sociedade;
  • Melhorar a estética e o visual das áreas a serem trabalhadas;
  • Minhocultura – produzir húmus de minhoca para recuperação do solo, que serve de base para a produção de alimentos saudáveis;
  • Multivida – produzir um suprimento alimentar que combata a subnutrição e a desnutrição de crianças e adultos;
  • Executar painéis com motivos ecológicos no lado externo dos muros existentes, divulgando os diversos projetos e propiciando a educação ambiental da comunidade;
  • Pesquisar junto à comunidade áreas para implantação e ampliação de projetos de novas hortas comunitárias.

Resumidamente pode-se dizer que os objetivos do projeto são: produzir alimentos de boa qualidade nas áreas ociosas dos Cieps 118 e 201, reforçar a merenda escolar e estimular o plantio de hortas urbanas domiciliares, pelo efeito demonstrativo da horta urbana escolar.

Sponsors